Central do Torcedor


Participe do nosso Fórum CLIQUE AQUI E SAIBA MAIS!!

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Ronaldinho pode ser um divisor de águas para o Fla


O casamento entre Ronaldinho Gaúcho e o Flamengo já foi considerado muito mais difícil do que hoje em dia. Com o namoro assumido pelas partes no fim de semana, o sonho parece cada vez mais palpável e os dirigentes já enxergam a possível chegada do jogador como um divisor de águas para o clube.

Na visão da diretoria, Ronaldinho tem o poder de mudar o Flamengo dentro e fora de campo.

Com o seu talento, poderia transformar um time, que agora não ostenta um grande astro, novamente em um dos principais candidatos ao título brasileiro. Já fora de campo, as receitas com a chegada de um dos principais nomes do futebol mundial poderiam mudar o panorama econômico de um clube afundado em dívidas e que busca se equilibrar ano após ano.

– Ter um jogador desse nível aqui seria fantástico. Muitos jovens nunca o viram jogar ao vivo, pois ele saiu muito novo do Brasil. Está fora do país há dez anos. Seria fantástico para o Flamengo, para o Rio de Janeiro, que é uma cidade que ele gosta tanto, e para o futebol brasileiro. Sua contratação teria o impacto da chegada do Ronaldo Fenômeno ao Corinthians. Mobilizaria todo o mundo do futebol, imprensa, seria importante para o país. Um casamento perfeito, um sonho fantástico. Atrairia parceiros e poderíamos ter outra visão do clube – explicou Harrison Baptista, diretor executivo de marketing do Flamengo.

A possível chegada de Ronaldinho faz com que os dirigentes sonhem com um Flamengo mais organizado, uma das promessas de campanha da presidente Patricia Amorim. Embora optem por não revelar, eles acreditam que R$ 15 milhões por ano seriam suficientes para custear o craque. Mas o clube poderia lucrar aproximadamente o triplo desse valor com ações de marketing, venda de produtos e novos patrocinadores.

Enquanto Ronaldinho não chega, pelo menos os torcedores já podem sonhar com o cenário otimista previsto pelos dirigentes.

0 comentários:

Postar um comentário

¢